Imobiliária em Campinas

Construção civil investiu US$ 324,5 bilhões durante 2010

em: Provectum

No decorrer de 2010, os investimentos dos vários segmentos do setor da construção civil, distribuídos por todo o território nacional, somaram US$ 324,5 bilhões, superando em 33% o resultado auferido em 2009, igual a US$ 250 bilhões. Os aportes resultaram em 11.174 produtos, para os segmentos: residencial (5.981 obras); comercial (3.331); e industrial (1.881), de acordo com a ITCnet.

Edifícios residenciais e condomínios de casas somaram investimentos superiores a US$ 36 bilhões, resultando em área construída de 76 milhões de m2. O segmento industrial participou com 55% do total de investimentos, destacando-se: energia, ferrosos, não-ferrosos e petróleo e afins, os quais, juntos, somaram 73% dos investimentos.

No segmento comercial, os investimentos chegaram a US$ 109 bilhões. As obras de infraestrutura viária e de turismo detiveram, respectivamente, os maiores investimentos, enquanto as viárias foram em número de 218 e investimentos da ordem de US$ 41 bilhões, com participação de 37%. Os hotéis e resorts somaram 252 obras e U$S 27 bilhões em aportes.

Regiões em crescimento - No Centro-Oeste, diz a ITCnet, o estado que tem o maior canteiro é Goiás, representando 40% do total da região, com 292 obras. No Norte e Nordeste, os destaques são os estados da Bahia, Ceará e Pernambuco, que somam, respectivamente, 323, 251 e 400 obras, representando mais de 48% do total da região.

“No Sudeste, São Paulo ainda possui o foco de todas as atenções, com 3.600 obras, superando os estados do Rio de Janeiro (1.637), o de Minas Gerais (1.126) e o do Espírito Santo (297)”, aponta a ITCnet.
O Sul do Brasil diversifica bem os investimentos nos seus três estados: Paraná, com 682 obras, Rio Grande do Sul; com 492; e Santa Catarina, com 614.

Projeções - “Com pouco mais de 11.100 obras cadastradas no Banco de Dados em 2010, nos estágios de Projeto, Construção e Concluídas, é possível prever como será o setor da construção nos próximos cinco anos”, afirma a ITCnet, que há três décadas acompanha a evolução do mercado da construção no Brasil.

Viviane Guirao, diretora da área de Pesquisa e Análise de Mercado da empresa, diz acreditar que, em 2011, “com os novos programas do Governo, a estabilidade econômica e os baixos índices de desemprego, o Brasil terá ainda maior consistência na área da construção e nos setores que alimentam esse mercado. A ITCnet prevê grandes investimentos. Somente nos estágios iniciais de construção, da sondagem às fundações, serão mais de 4.700 obras, sendo 1 mil no segmento Industrial, 1.600 no comercial e 2.100 no Residencial”, estima a diretora da ITCnet.

Comentários:

Busca

Newsletter

Seu e-mail

Arquivo

Twitter Youtube Flickr Facebook