Imobiliária em Campinas

Aluguel em andamento com aniversário em abril subirá 3,23%

em: Provectum

Os contratos de locação em andamento com cláusula de reajuste anual pela variação do IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) e aniversário em abril sofrerão variação de 3,23% sobre o valor do aluguel vigente até março.

De acordo com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), responsável pela divulgação do índice, a variação do indicador em março foi de 0,43%, totalizando uma alta acumulada de 3,23% no período de 12 meses compreendido entre abril de 2011 a março de 2012.

Para facilitar o cálculo do aluguel, o Secovi-SP (Sindicato da Habitação) divulga um fator de multiplicação, que neste mês é de 1,0323 e poderá ser multiplicado diretamente no valor do aluguel vigente antes do reajuste.

Dessa forma, se o aluguel pago no período de abril de 2011 a março de 2012 foi de R$ 1.500,00 por mês, o valor de locação mensal para o período de abril de 2012 a março de 2013 – ou até o final do contrato, no caso de aluguéis com término previsto para antes de março de 2012 – será de R$ 1.548,45, resultado da multiplicação de R$ 1.500,00 por 1,0323.

Fatores de Reajustes de aluguel

- Contrato com aniversário em março de 2011 e pagamento em abril de 2011: 1,1130
- Contrato com aniversário em abril de 2011 e pagamento em maio de 2011: 1,1095
- Contrato com aniversário em maio de 2011 e pagamento em junho de 2011: 1,1060
- Contrato com aniversário em junho de 2011 e pagamento em julho de 2011: 1,0977
- Contrato com aniversário em julho de 2011 e pagamento em agosto de 2011: 1,0865
- Contrato com aniversário em agosto de 2011 e pagamento em setembro de 2011: 1,0836
- Contrato com aniversário em setembro de 2011 e pagamento em outubro de 2011: 1,0800
- Contrato com aniversário em outubro de 2011 e pagamento em novembro de 2011: 1,0746
- Contrato com aniversário em novembro de 2011 e pagamento em dezembro de 2011: 1,0695
- Contrato com aniversário em dezembro de 2011 e pagamento em janeiro de 2012: 1,0595
- Contrato com aniversário em janeiro de 2012 e pagamento em fevereiro de 2012: 1,0510
- Contrato com aniversário em fevereiro de 2012 e pagamento em março de 2012: 1,0453
- Contrato com aniversário em março de 2012 e pagamento em abril de 2012: 1,0343
- Contrato com aniversário em abril de 2012 e pagamento em maio de 2012: 1,0323

Secovi-SP: crescimento do setor será próximo ao do PIB

em: Provectum

ROBERTA SCRIVANO - Agência Estado

SÃO PAULO - O crescimento do mercado imobiliário deve, a partir deste ano, ser bem próximo à expansão da economia. Para o presidente do Sindicato de Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Claudio Bernardes, em 2012 o volume de vendas será entre 3,5% e 4% maior do que o registrado em 2011. "E essa é uma tendência. Cada vez mais a variação do mercado ficará próxima do desempenho do PIB (Produto Interno Bruto)", disse a jornalistas no prêmio Top Imobiliário, promovido pelo Grupo Estado.

Ele salientou que o forte ritmo de crescimento dos últimos cinco anos não é sustentável. "É óbvio que uma acomodação ocorrerá", frisou. Quando questionado sobre o preço das unidades foi enfático: "Não há espaço para novas altas. Mas também não há para quedas".

Com o aumento mais ameno no preço, o ativo também não será mais tão atrativo como investimento. "É uma aplicação segura e continuará sendo. Mas certamente a alta no preço não atingirá os níveis que atingiu", ponderou Bernardes. "Ainda assim continuará vantajoso", completou.

Inflação da construção desacelera em março, aponta FGV

em: Provectum

Fonte: Valor

SÃO PAULO - A inflação da construção, medida pelo Índice Nacional de Custo da Construção - M (INCC-M) foi de 0,37% em março, o que significa uma desaceleração em relação à inflação de 0,42% observada em fevereiro, informou hoje a Fundação Getulio Vargas (FGV).

No ano, o índice acumula variação de 1,46% e, nos últimos 12 meses, a taxa registrada é de 7,85%.

Quando decomposto por capitais, o INCC-M mostra que a inflação da construção avançou em Salvador (para 0,92% em março, de 0,45% em fevereiro), Brasília (para 0,31%, de 0,15%) e Porto Alegre (para 0,99%, de 0,39%) e desacelerou em Belo Horizonte (para 0,22%, de 1,45%), Recife (para 0,20%, de 0,27%) e Rio de Janeiro (para 0,23%, de 0,58%).

Em São Paulo, a taxa de variação foi a mesma em fevereiro e março: 0,20%.

O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,42%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,40%. O índice referente à mão de obra registrou variação de 0,32%. No mês anterior, a taxa foi de 0,43%.

Em Salvador, foi registrada variação de 1,61%, devido a reajustes salariais ocorridos em função da data base, informou a FGV. Em Porto Alegre, a taxa de 1,47% decorre de adicional previsto no acordo coletivo. No Rio de Janeiro ocorreu discreta variação salarial. Três capitais apresentaram desaceleração: Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro. São Paulo repetiu a taxa de variação do mês anterior.

O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Brasil é o 2º melhor país para investir em imóveis comerciais, diz estudo

em: Provectum

Fonte: Estadao.com.br

SÃO PAULO - O Brasil já é considerado o 2º melhor país para investir em imóveis comerciais, mostra uma pesquisa Associação de Investidores Estrangeiros em Imóveis (Afire, em inglês). O País subiu duas posições e passou a China, que agora ocupa o 3º lugar. O topo da lista é ocupado pelos Estados Unidos.

Segundo o levantamento, 18,6% dos entrevistados acreditam que o País abriga as melhores oportunidades para empregar capital em empreendimentos comerciais. Na avaliação dos empresários, o bom momento econômico do País deve manter essa tendência de valorização.

O aumento dos preços dos imóveis comerciais ocorre desde 2005, chegando a cerca de 75% nos principais bairros de São Paulo e do Rio de Janeiro. No período, a capital paulista subiu da vigésima sexta melhor cidade do mundo para se investir para a quarta posição em 2012.

Vale a ressalva que, se do lado dos investidores do mercado imobiliário o movimento é favorável, na outra ponta a explosão dos preços aumenta o custo de alocação das empresas.

Gastos com habitação aumentam e inflação acelera na terceira semana do mês

em: Provectum

Fonte: Info Money

SÃO PAULO – A inflação medida pelo IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) acelerou e encerrou a terceira semana de março em 0,51%. O resultado é 0,04 ponto percentual maior que o registrado na semana anterior, terminada no dia 15 de março, que foi de 0,47%.

O índice, calculado pela FGV (Fundação Getulio Vargas) e divulgado nesta sexta-feira (23), refletiu as variações nos preços do grupo Habitação, que passou de 0,89% para 1,02%.

No grupo, a aceleração partiu dos itens empregada doméstica mensalista (4,10% para 4,93%), aluguel residencial (0,74% para 0,95%), taxa de água e esgoto residencial (1,26% para1,85%) e condomínio residencial (1,01% para 1,09%).

Outros grupos

Os grupos Alimentação (0,43% para 0,52%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,52% para 0,60%), Educação, Leitura e Recreação (0,24% para 0,28%) e Despesas Diversas (0,06% para 0,12%) também contribuíram para a aceleração da inflação semanal.

Nestes casos, os resultados refletem, respectivamente, a variação nos preços das carnes bovinas (-3,09% para -2,06%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,43% para 0,89%), show musical (0,09% para 1,77%) e serviço religioso e funerário (0,16% para 0,58%).

Por conta dos resultados apurados nos itens tarifa de ônibus urbano (0,45% para 0,26%), tarifa de telefone residencial (-0,69% para -1%) e roupas (0,34% para 0,27%), nesta ordem, os grupos Transportes, Comunicação e Vestuário apresentaram movimento contrário no período, conforme é possível verificar na tabela a seguir:


Busca

Newsletter

Seu e-mail

Arquivo

Facebook

Twitter

Twitter Youtube Flickr Facebook