Imobiliária em Campinas

Jovens realizam mais cedo o sonho da casa própria.

em: Provectum
Eles não têm trauma da inflação pois entraram no mercado consumidor num cenário de economia estável e fartura de crédito.

Eles ingressaram no mercado consumidor numa economia livre de inflação galopante e com estabilidade suficiente para permitir sonhos de longo prazo.

Confiantes no futuro, os jovens têm sido responsáveis por boa parte da expansão do crédito imobiliário no País. Dados da Caixa mostram que os compradores com menos de 35 anos já são responsáveis por 56,9% dos financiamentos fechados até o dia 18 deste mês. "Em 2000, os jovens representavam 54,4%. Já a participação de maiores de 35 anos caiu de 49% para 43,1%", diz o superintendente regional da Caiax, Válter Gonçalves Nunes.

(Fonte:Jornal O Estado de São Paulo)

Provectum Imóveis participa do 6º Feirão Caixa

em: Provectum
Pelo segundo ano consecutivo, a Provectum participará do 6º Feirão de Imóveis que a Caixa Econômica Federal realiza nesta sexta, sábado e domingo em Campinas, no Parque D. Pedro Shopping.

Em seu estande de vendas, a empresa, uma das maiores imobiliárias da Região Metropolitana de Campinas (RMC), disponibilizará aos visitantes um cadastro com quase dois mil imóveis de terceiros para venda e locação.

Para o presidente da Provectum, Luiz Bueno, estar presente neste Feirão é importante tanto do ponto de vista de vendas no próprio local como o início de contatos para negócios posteriores. "No ano passado, a experiência que tivemos foi bastante positiva, com vários negócios fechados na própria feira e nos meses seguintes", conta. "E esperamos que neste ano seja ainda melhor, diante do quadro positivo para o ramo imobiliário, diferente do ano passado, quando a feira foi realizada bem no meio da crise financeira mundial."

Vendas devem somar 18% da previsão para 2010

em: Provectum

Nice Bulhões - Campinas

Arquivo/TodoDia Imagem

http://www2.uol.com.br/tododia/ano2010/maio/200510/img/fotos/20nr8a.jpg

Feirão de Imóveis da Caixa: em 2009, 16 mil pessoas visitaram o evento

O volume de negócios a serem fechados no 6º Feirão da Casa Própria de Campinas, que começa amanhã, deve representar 18% de toda a venda imobiliária prevista para 2010 na RMC (Região Metropolitana de Campinas).


A Superintendência Regional da Caixa Econômica Federal prevê que o evento gere R$ 350 milhões em vendas imobiliárias até 60 dias após realização. A Habicamp (Associação Regional da Habitação de Campinas) estima que as comercializações de imóveis em 2010 movimentem R$ 1,95 bilhão, 30% a mais que em 2009 (R$ 1,5 bilhão).


No feirão, haverá 25 mil imóveis em ofertas, com valores de R$ 59 mil a R$ 320 mil, no Parque D. Pedro Shopping. O evento acontece até domingo. É a terceira vez que Campinas faz parte do circuito nacional do feirão da Caixa. Do total ofertado, 17.705 são imóveis novos e na planta, localizados em Americana, Campinas, Hortolândia, Indaiatuba, Nova Odessa, Jaguariúna, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara d´Oeste, Sumaré, Valinhos e Vinhedo. O VGV (Valor Geral de Vendas) deles é da ordem de R$ 1,7 bilhão.


Cerca de 15% desse volume em oferta são enquadrados no PMCMV (Programa Minha Casa, Minha Vida) para público de renda entre três e dez salários mínimos (R$ 1.530 a R$ 5,1 mil).

Uma das novidades este ano é a oferta de imóveis comerciais com financiamento da Caixa, especificamente, o Swiss Park. O empreendimento é o maior complexo urbanístico do interior do Estado com 5 milhões de metros quadrados, na Rodovia Anhanguera, em Campinas.


“Este feirão deve incrementar em 30% as vendas do setor imobiliário em relação ao ano passado”, disse o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho.


O gerente regional de Habitação da Caixa, Marcos Roberto Fontes, informou que no Feirão da Caixa serão assinados contratos para 1,2 mil unidades habitacionais na planta, que passam a ser vendidas com financiamento da instituição. “Elas representam cinco empreendimentos, distribuídos em Hortolândia (2), Sumaré (2) e Campinas.”


Em 3 mil metros quadrados, o feirão reunirá 18 construtoras (como MRV, Rossi, Goldfarb, Sega, Metro 4 e Segurança), nove correspondentes Caixa Aqui, as duas principais redes de imobiliárias de Campinas - a Rede Total e Rede Campinas Secovi (juntas levarão ofertas de imóveis prontos de 100 imobiliárias).


Para ajudar as pessoas, a Caixa disponibilizará 30 computadores com Internet para simulação do financiamento com orientação, 28 pontos de atendimento Caixa para emissão de carta de crédito. A expectativa é que cerca de 15 mil pessoas visitem o local nos três dias de evento. Em 2009, 16 mil pessoas passaram pelo feirão, foram realizados 3 mil negócios.

Em Janeiro vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo cresceram 36,01%

em: Provectum

As vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo cresceram 36,01% em janeiro em relação a dezembro, totalizando 640 unidades, de acordo com pesquisa divulgada pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), com base em dados de 1.361 imobiliárias. Com isso, o índice de vendas estadual passou de 0,3458 no final do ano passado para 0,4702 em janeiro. Do total comercializado, 55% foram apartamentos e 45% casas.

Os imóveis mais vendidos na capital em janeiro, com 57,45% do total de contratos, foram os de valor superior a R$ 200 mil. No interior, os mais vendidos foram as casas e apartamentos de valor entre R$ 141 mil e R$ 160 mil, somando 19,72% dos negócios fechados pelas imobiliárias.

Segundo o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, mesmo sendo um mês marcado pelas férias, janeiro tem um ritmo mais intenso de atividade imobiliária, "mas não se trata de uma explosão de vendas e de locação, como sugerem os números que surgem da comparação com dezembro".

No mercado de locação os resultados foram ainda mais expressivos. No primeiro mês do ano, o número de imóveis alugados cresceu 103,72% ante dezembro. No período, as imobiliárias consultadas alugaram 2.285 casas e apartamentos. Com o resultado, o índice estadual de locação subiu de 0,8241 em dezembro para 1,6789 em janeiro.

O crescimento foi registrado nas quatro regiões pesquisadas, atingindo 293,46% nas cidades do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco; 211,25% no Interior; 25,13% no Litoral; e 19,25% na Capital.

Busca

Newsletter

Seu e-mail

Facebook

Twitter

Twitter Youtube Flickr Facebook