Imobiliária em Campinas

Campinas Decor edição 2010 comemora 15 anos de sucesso

em: Provectum

A edição 2010 da Campinas Decor será aberta nesta sexta-feira, 30 de abril, comemorando uma marca histórica: os 15 anos da principal e mais tradicional mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do interior paulista. Tendo como cenário os prédios históricos e o famoso jardim botânico do IAC (Instituto Agronômico de Campinas). O evento conciliará o novo e o antigo, ao recuperar um importante patrimônio histórico e, ao mesmo tempo, exibir o que há de mais moderno no setor.

Com investimentos de R$ 8 milhões, divididos entre organização, expositores, patrocinadores e fornecedores, a Campinas Decor 2010 acontecerá até 13 de junho. A expectativa é receber um público de 34 mil pessoas, com um crescimento de cerca de 5% em relação à edição de 2009, quando foi registrado o recorde histórico de 32,3 mil visitantes.

Quem for à edição 2010 da Campinas Decor poderá desfrutar de um passeio por 10 mil metros quadrados de natureza e história. Composta pela Antiga Casa do Diretor do IAC, tombada pelo Patrimônio Histórico, pelo Prédio da Fisiologia, por três estufas (uma tombada pelo patrimônio histórico) e pelo jardim botânico do instituto, conhecido nacionalmente por suas espécies raras originárias das mais diversas partes do mundo, a mostra se divide entre 2 mil quadrados de área construída e 8 mil metros de paisagismo. No total, são 68 ambientes internos e externos, preparados por 106 dos mais renomados profissionais das cidades de Campinas, Americana, Engenheiro Coelho, Jundiaí. Mogi Mirim, Paulínia, Salto, Sumaré e Valinhos.

Desde fevereiro deste ano, quando foram iniciadas as obras de preparação da mostra, a organização e os expositores promoveram uma reforma completa na Antiga Casa do Diretor e nas estufas, com obras de revisão elétrica, hidráulica, de telhados e calhas, madeiramento de portas e janelas. Foi realizado ainda o restauro da fachada da Casa do Diretor, que, retornou à cor original, após um amplo trabalho de pesquisa, e da estufa principal, que abrigará o restaurante, cuja estrutura metálica veio da França (leia mais sobre ambos os trabalhos no descritivo sobre os ambientes).

O Prédio da Fisiologia também foi inteiramente reformado para atender às necessidades dos pesquisadores do instituto. Portas, janelas, vidros e esquadrias foram trocados e revestimentos foram revitalizados. Foi feita ainda a reforma dos sanitários e copa, limpeza das áreas de jardins e plantio de grama. Todo o trabalho foi acompanhado de perto por uma comissão do IAC e por integrantes do Condepacc (Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural de Campinas).

Além dos arquitetos, decoradores e paisagistas que participam do evento como expositores, o trabalho envolveu um verdadeiro exército de profissionais, como pedreiros, pintores, marceneiros, eletricistas, entre outros. Em horários de pico, o cenário de uma Campinas Decor chegou a concentrar cerca de 500 pessoas trabalhando ao mesmo tempo. No total, a mostra gerou 1.400 empregos durante a fase de preparação e outros 100 durante seu funcionamento.

Esta é a terceira vez que a Campinas Decor acontece em um imóvel tombado pelo patrimônio histórico e a quarta em que um prédio público recebe benfeitorias. A parceria para a recuperação das instalações do IAC em duas edições consecutivas (2009 e 2010) foi firmada logo após a experiência positiva registrada em 2008 na Estação Guanabara.

Além de restaurar a fachada do prédio principal da estação, a organização da mostra e os arquitetos, decoradores e paisagistas participantes revitalizaram o imóvel. A intervenção da iniciativa privada permitiu à Unicamp, comodatária da estação, instalar no local um centro cultural e social, que está em funcionamento. A primeira experiência dessa natureza ocorreu em 2003, no casarão do Lago do Café, devolvido ao município com seus espaços recuperados.

“Essas experiências são ainda mais gratificantes, pois além da mostra em si, conseguimos revitalizar patrimônios públicos e históricos para benefício da comunidade. Enxergamos essa parceria como um grande reconhecimento ao trabalho realizado durante esses 15 anos”, ressaltam as organizadoras Stella Pastana Tozo e Sueli Cardoso.

No ano passado, a organização e os expositores recuperaram o edifício Franz W. Dafert, do IAC, que foi devolvido em perfeitas condições para abrigar os cursos de pós-graduação do instituto. Também foram feitas reformas em uma estufa e em diversas pequenas casas que são utilizadas como suporte aos centros de pesquisa do instituto.

Retorno a uma residência

Uma das características da Campinas Decor 2010 é o retorno do evento a uma casa. Nos dois anos anteriores, a mostra foi realizada em grandes prédios, no próprio IAC, e na Estação Guanabara. “O fato de o imóvel principal desta edição ser uma casa, que realmente foi ocupada por várias famílias, é bastante interessante, pois conseguimos nos aproximar mais do que o público gosta de ver. As pessoas que visitam a Campinas Decor gostam de se imaginar morando na residência que abriga a mostra”, explica a empresária Sueli Cardoso, uma das organizadoras.

Seguindo a linha de criar uma história fictícia para balizar o trabalho dos expositores, desta vez o enredo foi todo desenhado pensando na família de um diretor do instituto, reproduzindo o que aconteceu durante décadas na casa que agora abrigará a mostra.

A casa serviu como moradia de diretores do instituto e suas famílias a partir de 1923, por cerca de 40 anos. Quando deixou de ser costume o diretor morar dentro do IAC, o prédio ganhou outras funções, tendo sido utilizado como creche para os filhos dos funcionários e também como sede para o serviço de assistência médica dos servidores. O imóvel estava desocupado havia cerca de três anos e, no ano passado, abrigou temporariamente os cursos de pós-graduação, que saíram do prédio Franz W. Dafert para a realização da Campinas Decor 2009.

A temática dos 15 anos também é motivo de inspiração. “Para marcar os 15 anos de Campinas Decor, teremos o quarto e o banheiro da debutante”, afirma a organizadora Stella Pastana Tozo.

Assim como aconteceu na edição de 2009, mais uma vez a mostra contará com uma rua composta por ambientes para convivência, como Botequim, Chocolataria, e com uma área voltada exclusivamente para ambientes corporativos, que desta vez terá um prédio exclusivo para ela (Prédio da Fisiologia).

Provectum Imóveis Copa 2010

em: Provectum

A Provectum Imóveis, de Campinas, acaba de lançar uma promoção imperdível para que vocês, cliente e corretor, assistam à Copa 2010 em um televisor novinho.

Ao efetuar uma compra ou locação, você preencherá um cupom e, automaticamente concorrerá ao sorteio. No dia 1 de junho, serão sorteados dois aparelhos de LCD de 37 polegadas, sendo 1 para cada grupo.

Poderão participar da promoção todas as pessoas que efetuarem negociações de compra, venda e locação de imóveis (proprietários, inquilinos e compradores) e corretores através da Provectum Imóveis no período 01/04/2010 até 30/06/2010.

O primeiro grupo contemplará o setor de vendas (vendedores de imóveis e compradores) e o setor de locação (proprietários e locatários)

Um segundo grupo para o sorteio emglobará todos os corretores de venda, corretores de locação, captadores de venda e locação da Provectum Imóveis.

Cada negociação dará direito a um cupom, para cada uma das partes. O cupom será preenchido pela secretária da Unidade de acordo com contrato de venda ou locação. Além disso, deverá constar a assinatura do Gerente da Unidade. O cupom não poderá ser preenchido em nome de terceiros.

Acesse já nosso site: http://www.provectumimoveis.com.br

Provectum Imóveis cai na rede.

em: Provectum

Antenada com a modernidade tecnológica e seus avanços pelo mundo, a Provectum Imóveis agora está presente em diversas mídias sociais como Orkut, Facebook, Twitter, Flickr, Yahoo Meme, YouTube, Blog, diHITT e MeAdiciona.

Com esse novo passo, a empresa busca maior aproximação com seus clientes, fornecedores e amigos. Agiliza lançamentos de produtos, disponibiliza ofertas de imóveis, notícias do mercado e, mais que tudo isso, cria canais de relacionamento para melhorar a comunicação com seu público.

A iniciativa da Provectum Imóveis é inédita no segmento imobiliário e de comercialização de imóveis na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Segue a tendência das grandes companhias nacionais, presentes em mídias alternativas.

De acordo com estudos de empresas do segmento, cerca de 17% das empresas se relacionam com seus clientes e público por meio dessas ferramentas.

Segundo o diretor da Provectum Imóveis, Luiz Bueno, estar nas mídias sociais não é mais uma questão de modismo, mas sim de necessidade. “São canais de comunicação onde podemos nos relacionar de forma instantânea com nosso público, percebendo tendências de consumo, das necessidades do mercado e nos antecipar em relação a lançamentos e ofertas de produtos e serviços”, explica.

Além do e-commerce, as redes sociais muda os hábitos dos consumidores com relação à compra. Uma pesquisa feita pelas empresas Chadwick Martin Bailey e iModerate mostra que mais de 60% dos usuários do Twitter ficam mais interessados em comprar produtos de marcas que eles seguem no microblog.

Já no Facebook, 50% dos usuários pensam da mesma forma com relação às marcas das quais são fãs. Além disso, o estudo ainda aponta para o fato de que estes internautas indicam os produtos e serviços 80% a mais do que os consumidores em geral.

Um dos motivos que os fazem acessar a página dessas marcas e tornarem-se mais próximos delas é de adquirirem descontos, participarem de promoções ou serem informados sobre novidades da marca em primeira mão. Porém, é preciso ter cuidado para que as informações sobre os produtos não passem dos limites que o consumidor estabelece como aceitável.

Veja como acessar nossas mídias sociais. Esperamos vocês lá!









Classe C vai dominar o mercado imobiliário

em: Provectum

A classe média popular vai dominar o mercado residencial brasileiro nos próximos anos, segundo recente estudo da consultoria MB Associados. De acordo com as projeções da MB, a classe C, com renda familiar de três a dez salários mínimos, terá uma demanda habitacional potencial por 10,4 milhões de imóveis até 2016.

A demanda potencial, segundo o trabalho, é medida pelo número de novas famílias que surgem em cada classe, incluindo-se aí pessoas que partem para morar sozinhas, como um filho que sai de casa ou um divorciado. A consultoria excluiu o déficit habitacional — condições precárias e coabitação, que atingem 7 milhões de famílias, 80% das quais nas classes D e E — do cálculo de demanda potencial.

As novas famílias vão buscar imóveis para morar, sejam novos, usados ou alugados. O economista da MB Associados Sérgio Vale crê que grande parte da demanda potencial se direcione para a compra de imóveis novos, dada a rápida expansão do crédito imobiliário e o aquecimento desse mercado.

A demanda potencial da classe C é, inclusive, maior que a demanda potencial total de todas as classes, que é de 9,5 milhões até 2016. O fenômeno se explica pela migração prevista, para a classe C, de famílias das classes D e E, com a continuidade do processo de crescimento econômico e redução da pobreza.

Como as classes D e E vão diminuir, elas apresentarão uma demanda negativa de 2,4 milhões naquele período — isto é, essa será a redução do número de famílias nas duas classes mais pobres. Já o aumento do número de famílias das classes A e B (acima de dez mínimos) será de 1,6 milhão até 2016. “O foco do setor nos próximos anos tem de ser a classe C, que é uma classe média, e não as classes mais baixas, D e E, que estão diminuindo”, diz Vale.

Os financiamentos residenciais no Brasil atingiram o pico histórico de quase 700 mil unidades em 2009, comparado a cerca de 250 mil em 2004. O maior salto foi nos financiamentos concedidos pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), cujo volume financeiro subiu de R$ 2,2 bilhões em 2004 para R$ 30 bilhões naquele período. Os dados são do Banco Central e da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Mesmo com esse avanço, a participação do crédito habitacional brasileiro no PIB, de 3% em 2009, fica muito abaixo de países emergentes como México, China, Chile, Malásia e África do Sul, onde atinge respectivamente 9%, 10% e 14%, 30% e 34%.

Segundo a MB Associados, houve um aumento da participação do mercado de renda média, e de renda média baixa, na oferta de novos imóveis.


. (FONTE: Da Agência Estado).

Busca

Newsletter

Seu e-mail

Facebook

Twitter

Twitter Youtube Flickr Facebook